Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Carro da UFRN, que é preto e descaracterizado, por ter sido confundido com um veículo da polícia, segundo a PM (Foto: José Anchieta de Freitas)


Trinta pessoas foram mortas no Rio Grande do Norte somente neste final de semana – o mais violento do ano no estado, segundo levantamento feito pelo Observatório da Violência Letal Intencional (OBVIO). A matança supera o fim de semana de janeiro (dias 14 e 15) no qual 26 detentos foram assassinados em confronto dentro do maior presídio do estado, episódio conhecido como "Massacre de Alcaçuz".

Ainda de acordo com o instituto, dos 30 homicídios registrados, 12 ocorreram em Natal. Outros 4 foram registrados em Mossoró, na região Oeste, e 3 em Ceará-Mirim.

A PM também registrou um assassinato em cada uma das seguintes cidades: Parnamirim, Apodi, Baraúna, Caicó, Caraúbas, Extremoz, Japi, Macaíba, Martins e Santa Cruz.

Um dos casos que mais chamou a atenção na capital foi a morte do motorista da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) José Wilson de Souza, de 59 anos. Na madrugada deste domingo (9), ele foi ao bairro de Ponta Negra para buscar a reitora da universidade e levá-la ao aeroporto. Antes, porém, acabou assassinado com quatro tiros.

Há duas versões para a motivação do crime. De acordo com a PM, por causa do carro da UFRN, que é um veículo preto descaracterizado, o motorista teria sido confundido com um policial. Já a Polícia Civil acredita em tentativa de assalto. Informações do Anderson Barbosa /G1 RN.

Sobre montieur monteiro

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você