Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Jogadores reunidos para entrevista coletiva (Foto: Marlon Costa / Pernambuco Press)


Os jogadores do Náutico não treinaram nesta quinta-feira. Após uma longa espera, que durou 50 minutos, os atletas chamaram a imprensa no auditório do hotel do centro de treinamento do clube para declararem uma paralisação. O motivo: salários atrasados. Camisa 10 e capitão do time, o meia Marco Antônio se colocou como porta-voz para explicar a situação.

- Só para expor o motivo de não termos ido para o campo. E falar diretamente para quem interessa, que é o torcedor. Até esse último final de semana, tentamos com todas as forças nos classificarmos (para as semifinais do Campeonato Pernambucano). E agora que acabou o campeonato (clube foi eliminado pelo Sport), estávamos esperando uma posição da diretoria em relação à condição financeira do clube.

Segundo Marco Antônio, em sete meses de clube ele não recebeu os salários completos em seis. Ele também disse que outros funcionários estão com mais dificuldades.

- Vou falar do meu caso. Estou aqui há sete meses e são seis meses sem direito de imagem, que é 50% do meu salário total. E outros três meses sem receber o salário completo. E não sou o pior, tem gente em situação mais difícil. Dentro de campo, tentamos honrar o nosso nome e nossa família. A rapaziada que trabalha aqui também, nos ajudando.

Marco Antônio, que foi acompanhado por todos os jogadores do elenco e funcionários ligados ao futebol, disse que era esperada uma postura diferente da diretoria e que estão cobrando o que é direito deles.

- Esperávamos uma postura diferente da diretoria e queremos passar o recado para quem é dono do clube, que é o torcedor. Há algum tempo, nosso grupo se reuniu e tentamos, de alguma forma, cobrar o que é nosso por direito. Não estamos cobrando nada além disso. Esperamos, do fundo do coração, que essa política de só receber quando entramos na Justiça, acabe. A instituição não pode pagar por isso.

Outra coisa que incomodou a todos foram entrevistas dadas por dirigentes prospectando novas contratações para a disputa da Série B.

- Não descemos para tentar uma posição da diretoria para saber o que eles vão fazer. Vimos entrevistas de diretores falando de contratação e já estamos em uma situação dificílima. O torcedor precisa saber que de nossa parte nunca faltou empenho e dedicação. Talvez a gente até paga dentro de campo o que acontece fora. Então queremos que o Náutico deixem o lado político de lado e as pessoas pensem no clube. Informações do Daniel Gomes / Globoesporte / Recife.

Sobre montieur monteiro

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você