Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(PETER BYRNE/PA)

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse na manhã desta terça-feira que a explosão de um homem-bomba na noite de segunda-feira no show da cantora americana Ariana Grande foi um "cruel ataque terrorista...uma covardia terrível e repugnante".

Segundo May, as forças de segurança do país acreditam que a ação foi individual e que a identidade do autor do ataque já é sabida. Seu nome, no entanto, ainda não foi revelado.

A explosão, ocorrida do lado de fora do auditório da Manchester Arena pouco após o show, às 22h35 locais, (18h35 de Brasília), deixou 22 mortos e 60 feridos.

A primeira vítima a ser identificada é uma estudante de 18 anos, Georgina Callander, que fazia um curso de Saúde e Serviço Social em uma faculdade em Lancashire.

A polícia trabalha com informações sobre pessoas desaparecidas que tinham ido ao show.

Uma página foi criada na internet para levantar fundos em apoio às famílias das vítimas. Em apenas duas horas, foram doados £23 mil (R$ 97 mil).

May visitará o local do ataque, com capacidade para 21 mil pessoas, nesta terça-feira, e se reunirá com o comitê máximo de segurança do governo, o Cobra.

Na manhã desta terça-feira, a polícia evacuou um shopping center em Manchester. Testemunhas relataram à BBC terem ouvido tiros e visto um homem - ainda não identificado - sendo preso. Ainda não se sabe se este incidente está ligado ao ataque de segunda-feira.

Este é o pior atentado à bomba do Reino Unido desde os ataques no sistema de transportes de Londres de 2005, que deixaram 52 mortos.

Na ocasião, quatro jovens muçulmanos britânicos detonaram explosivos em três vagões do metrô e um ônibus em Londres. Mais de 700 pessoas ficaram feridas.

O país está em estado de alerta "alto" para ataques terroristas há dois anos. O último ataque do tipo foi há dois meses, no centro de Londres, quando um homem atropelou vários pedestres na ponte de Westminster e tentou invadir o Parlamento armado de uma faca, matando, ao todo 5 pessoas e ferindo outras 50.

Testemunhas

O britânico Josh Elliot, que estava no show, relatou à BBC que "houve um grande estrondo, e todos começaram a correr".

"Foi um tumulto, foi terrível. As pessoas choravam, e havia carros de polícia por todos os lados. Levantamos (do chão) quando achávamos que estávamos em segurança e saímos (da arena) o mais rápido que conseguimos", disse. As informações são da BBC.




Sobre montieur monteiro

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você