Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

 (Foto: PontePress/Fábio Leoni)


O Sport tem de lidar com uma longa maratona de jogos neste primeiro semestre. Disputando cinco competições no ano, o Leão terá que se superar caso queira ter sucesso em todas elas. Após a classificação na Copa Sul-Americana nos pênaltis, na última quinta-feira, os jogadores rubro-negros não esconderam que o cansaço contra a Ponte Preta pesou no placar deste domingo, mas ainda assim procuraram correr ao máximo durante os 90 minutos.

Sem ser aproveitado no confronto da última quinta-feira, pela Copa Sul-Americana, contra o Danúbio, Neto Moura foi um dos atletas do Sport que entraram em campo neste domingo descansados. Planejando mesclar alguns nomes que ficaram no banco contra o rival uruguaio com outros que atuaram, Ney Franco, no entanto, não conseguiu fazer o grupo voltar para Recife com três pontos na bagagem.

“Nosso time correu, mas a Ponte foi superior. Agora é trabalhar, porque quarta-feira já tem uma final de Copa do Nordeste. Temos que ser campeões para depois continuar bem no Brasileiro”, disse o volante Neto Moura ao Premiere.

Finalista da Copa do Nordeste e do Campeonato Pernambucano, o Sport quer esquecer logo a dura derrota sofrida para não chegar na quarta-feira, contra o Bahia, abalado. Ciente da importância de iniciar o ano com um título, o elenco terá pouco tempo para trabalhar, mas crê na superação para erguer a taça regional.

“É difícil, acabamos de vir de um jogo no Uruguai. Agora vamos viajar de volta para o Recife, descansar, porque quarta-feira tem jogo e precisamos ser campeões”, completou Neto Moura, já sonhando com uma vitória sobre o Bahia em casa que possa garantir uma vantagem para o jogo de volta, em Salvador. Informações da Gazeta Esportiva.

Sobre montieur monteiro

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você