Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(Reprodução / Foto: Sergio Barzaghi / Gazeta Press)



A série de 31 partidas sem derrotas do Palmeiras na condição de mandante terminou na noite desta quarta-feira. Com um gol em cada tempo, o líder Corinthians ganhou por 2 a 0 no Estádio Palestra Itália e pode terminar a 13ª rodada do Campeonato Brasileiro 11 pontos à frente do segundo colocado.
Invicto há 27 partidas (17 vitórias e 10 empates), o Corinthians chega aos 35 pontos e espera pelo confronto entre os perseguidores Flamengo e Grêmio, que duelam às 19h30 (de Brasília) desta quinta-feira, no Rio de Janeiro. Já o Palmeiras, derrotado como mandante após 31 jogos (23 vitórias e oito empates), segue com 19 pontos e cai para o sexto lugar.
O Corinthians saiu na frente com um gol de pênalti anotado pelo meia Jadson e aumentou em chute certeiro do lateral esquerdo Guilherme Arana. O Palmeiras, inspirado na final do Campeonato Paulista 1993, entrou de meias e calções brancos, mas foi incapaz de criar chances de gol.
Pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro, às 19 horas deste sábado, o Corinthians defende a liderança do torneio diante do Atlético-PR, no estádio de Itaquera. O Palmeiras, às 11 horas de domingo, tenta a reabilitação diante do Vitória, no Palestra Itália.
O Jogo – O Corinthians soube como conter o ímpeto do Palmeiras nos primeiros minutos e não correu grandes riscos no campo de defesa até conseguir um pênalti. Em uma jogada pela esquerda, o ex-corintiano Bruno Henrique chegou atrasado e cometeu falta em Guilherme Arana dentro da área. Jadson bateu no canto direito de Prass e marcou.
Pouco depois do gol, Thiago Santos e Rodriguinho discutiram no meio de campo e tomaram cartões amarelos. O árbitro Leandro Vuaden, famoso por deixar o jogo correr, viu mais alguns entreveros na etapa inicial. Em uma jogada de contra-ataque, Dudu pediu pênalti após Balbuena tocar com o braço na bola, sem sucesso.
 O Palmeiras manteve a posse de bola durante a maior parte do primeiro tempo, mas encontrou um adversário organizado na defesa e armado para contra-atacar. Na melhor chance do time da casa, Dracena cabeceou após escanteio cobrado por Dudu pela direita e Thiago Santos dividiu com o goleiro Cássio.

Após um primeiro tempo ruim, com passes errados e um pênalti cometido, Bruno Henrique saiu para a entrada de Borja no intervalo. Cuca posicionou Tchê Tchê pelo meio e passou a usar Roger Guedes na ala direita. Em um voleio de Willian dentro da área, o alterado time alviverde chegou a levar algum perigo.
Em vantagem no marcador, o Corinthians jogou de forma inteligente, sem se expor, e marcou o segundo aos 19 minutos da etapa complementar. Depois de uma bola perdida por Roger Guedes, Arana tabelou com Romero pela esquerda e, após lançamento preciso do paraguaio, finalizou cruzado para vencer Fernando Prass.
O goleiro Cássio fez cera desde o começo da partida e, aos 37 minutos do segundo tempo, foi enfim advertido com o cartão amarelo. Em mais uma atuação apagada, Borja se limitou a tentar cavar pênaltis e arranjar confusão. Na tentativa de pelo menos diminuir, o Palmeiras se lançou ao ataque, mas não conseguiu nem sequer criar boas oportunidades. Ao final, acabou vaiado.
FICHA TÉCNICA 
PALMEIRAS 0 x 2 CORINTHIANS
Local: Estádio Palestra Itália, em São Paulo (SP)
Data: 12 de julho de 2017, quarta-feira
Horário: 21h45 (Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS-CBF)
Assistentes: Jose Eduardo Calza e Mauricio Coelho Silva Penna (RS-CBF)
Público: 39.091 torcedores
Renda: R$ 2.744.600,04
Cartões amarelos: Thiago Santos, Dudu, Borja (Palmeiras); Rodriguinho, Jadson, Cássio, Guilherme Arana (Corinthians)
Gols:
CORINTHIANS: Jadson, aos 22 minutos do primeiro tempo, Guilherme Arana, aos 19 minutos do segundo tempo
PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê, Yerry Mina, Edu Dracena e Egídio (Zé Roberto); Thiago Santos (Keno), Bruno Henrique (Borja) e Guerra; Dudu, Róger Guedes e Willian
Técnico: Cuca
CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo (Pedro Henrique) e Guilherme Arana; Gabriel, Maycon, Jadson (Marquinhos Gabriel), Rodriguinho (Camacho) e Romero; Jô
Técnico: Fábio Carille



Sobre montieur monteiro

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você