Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Agência do Trabalho de Petrolina. (Foto: Beatriz Braga/G1 Petrolina)



De segunda a sexta-feira, cerca de 300 pessoas visitam a Agência de Trabalho de Petrolina, no Sertão de Pernambuco, à procura de uma vaga de emprego que se encaixe em seu perfil. No entanto, segundo a Secretaria de Micro e Pequena Empresa Trabalho e Qualificação (Sempeteq), a falta de experiência profissional e até o perfil comportamental de alguns candidatos, têm sido apontados como empecilhos para a contratação.

As vagas de emprego disponíveis para cada dia da semana são disponibilizadas em uma lista na entrada da Agência do Trabalho. Nesta lista, é indicada a área de atuação e critérios como escolaridade, tempo de experiência na carteira de trabalho, e outras observações como cursos extras ou facilidades de moradia e transporte.

Os candidatos que se encaixam no perfil da vaga são encaminhados para a empresa contratante por meio de uma carta de encaminhamento. Porém, é no ato da entrevista que o candidato pode perder a vaga. “Algumas empresas têm critérios muito específicos no momento da entrevista de emprego”, destacou a coordenadora da Agência de Trabalho de Petrolina, Raiana Viana.

Deuzivaldo Amorim tem 30 anos de idade e trabalhou em São Paulo como manobrista por quase 13 anos. Veio a Petrolina em março do ano passado em busca de melhores oportunidades, ficou desempregado por cerca de um mês, e agora foi chamado pela Agência de Trabalho para tentar uma vaga em uma empresa multinacional da região.

Com ensino médio completo e curso de manobrista, Deuzivaldo acha que a maior dificuldade, em Petrolina, é a exigência das empresas por experiência e cursos profissionalizantes. “As vagas disponíveis, todas precisam de experiência. Mas, se as empresas não dão experiência, como vamos ter? Eles deveriam dar oportunidade para quem não tem experiência. Todo lugar está difícil, mas parece que aqui em Petrolina está mais, porque tudo precisa de curso”, disse.

Desempregada também há cerca de um mês, Rosely Oliveira tem 49 anos e trabalhava em uma casa de família, mas optou por sair do emprego e buscar outras funções. “Tem emprego que às vezes não é o nosso perfil e aí temos que procurar melhores. Já trabalhei de recepcionista, em hotel na parte de limpeza e outras coisas”, conta.



Lista com as vagas disponíveis. (Foto: Beatriz Braga/G1 Petrolina)

Rosely tem ensino médio completo e experiência em algumas áreas, mas ainda não foi encaminhada a nenhuma vaga pela agência. “Eu sempre venho aqui quando saio de um emprego para renovar o cadastro, que fiz há três anos, mas dessa vez não achei nada”. Além do cadastro na agência, ela também deixa seu currículo em algumas empresas.

Dados do desemprego

Segundo dados do mês de agosto do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o desemprego no Brasil atingia mais de 13 milhões de pessoas. Em Pernambuco, na mesma época, mais de 700 mil pessoas estavam desempregadas. De acordo com a Sempeteq, a procura por emprego na região tem sido maior em relação ao ano passado, com um acréscimo de cerca de 10%.

Agência de Trabalho de Petrolina

O atendimento no local é realizado de segunda a sexta-feira, das 7h às 13h. Os serviços oferecidos são: busca por vagas de emprego, habilitação ao seguro-desemprego, orientação profissional e atendimento à emissão da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS). Para realizar o cadastro no Sistema Mais Emprego, do Ministério do Trabalho, é necessário apresentar RG, CTPS, CPF, comprovante de residência e dados profissionais e curriculares. Informações do G1 Petrolina.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você