Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

F-22 pouco antes de decolar, nos EUA, em imagem de arquivo (Foto: Reprodução / EPTV)


Os exercícios militares conjuntos de larga escala entre EUA e Coreia do Sul,iniciados nesta segunda-feira (4), incluem caças furtivos (com tecnologia "stealth", que os deixa praticamente ocultos nos radares inimigos) dos modelos F-22 Raptor, F35-A e F35-B, modernos aviões de guerra de quinta geração.

Segundo a Coreia do Norte, o treinamento deixa a Península Coreana "à beira da guerra nuclear". As manobras do exercício “Ás Vigilante” acontecem uma semana depois de Pyongyang dizer que testou seu míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês) mais avançado e capaz de alcançar os EUA, parte de um programa de armas que vem desenvolvendo em desafio a sanções e críticas internacionais.

O exercício de EUA e Coreia do Sul, segundo a agência sul-coreana Yonhap, já é a maior combinação de aeronaves dos dois aliados, pois envolve mais de 230 aviões de guerra e cerca de 12 mil tropas.

'Dominância'

Entre eles estão seis F-22 Raptor e seis F-35As, trazidos temporariamente à Coreia para o treinamento.

As aeronaves F-22 e F-35 são consideradas pela fabricante Lockheed Martin como ferramentas para possibilitar a "dominância" aérea americana.

Como reporta a rede americana CNN, a ideia é que a capacidade de combate ar-ar do Raptor funcione em conjunto com as múltiplas funções dos sensores de longo alcance dos F-35 para garantir uma vantagem sobre a concorrência de outras potências militares, como China e Rússia.

Os dois modelos já fizeram missões de treinamento sobre a península coreana nos últimos meses.

Cobertos com o revestimento "stealth" mais avançado do mundo, o F-22 e o F-35 provavelmente seriam convocados para liderar uma eventual campanha aérea contra a Coreia do Norte, caso a situação na região chegue às vias de fato.

No exercício desta semana, que segue até sexta-feira, atuam ainda uma dúzia de aviões F-35B operados pelo Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA, voando a partir de sua base no Japão, informa a Yonhap.

Outras aeronaves envolvidas são dois bombardeiros B-1B Lancer, seis jatos EA-18G Growler e dezenas de aviões de combate F-15C e F-16. As informações são do G1.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você