Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(Foto: Nate Raymond/File Photo/Reuters)

Um sobrinho do ex-secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se declarou culpado na sexta-feira (5) sobre acusações nos Estados Unidos de que participou de um esquema para subornar um funcionário em um fundo soberano para vender um conjunto de edifícios no Vietnã.

Joo Hyun "Dennis" Bahn, de 39 anos, se declarou culpado de violar uma lei de corrupção estrangeira nos EUA e de conspiração perante o juiz distrital Edgardo Ramos, em Manhattan. Bahn mora em Nova Jersey e tem trabalhado como corretor de imóveis em Manhattan.

Bahn admitiu que, em 2014 e 2015, tentou conseguir um suborno para garantir a venda do complexo de edifícios Landmark 72 de Hanoi, de propriedade da empresa de construção sul-coreana Keangnam Enterprises Co Ltd. O pai de Bahn, Ban Ki-sang, era um executivo da empresa.

Bahn disse acreditar que ele estava pagando um suborno de US$ 500 mil para um funcionário do fundo soberano do Catar por meio de um intermediário, o designer de moda e blogueiro de Nova York Malcolm Harris. Na realidade, Bahn disse, Harris não tinha conexão com qualquer autoridade do Catar e reteve o dinheiro.

Os promotores disseram que Bahn concordou em pagar mais US$ 2 milhões após o fechamento da venda.

"Eu sabia que o que estava fazendo era uma má ação", afirmou Bahn na sexta-feira.

A sentença de Bahn deve ser anunciada em 29 de junho. Ele pode ser condenado a até 10 anos, embora os promotores tenham concordado que uma sentença de cerca de 7 anos seria apropriada, segundo o acordo da confissão de culpa de Bahn.

Cidadão sul-coreano, Bahn disse na sexta-feira que compreende que enfrentará a deportação depois de cumprir sua sentença. As informações são do G1 Com Reuters.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário