Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Reprodução Record TV

Cristian Cravinhos, um dos autores do assassinato dos pais de Suzane von Richthofen, foi preso na madrugada desta quarta-feira (18) após agredir uma mulher e tentar subornar policiais.

O caso ocorreu em Sorocaba, no interior de São Paulo.

A polícia foi acionada para atender uma ocorrência de briga de casal. Ao chegarem no local, os agentes não encontraram as vítimas. Em seguida, fizeram uma ronda nas imediações e encontraram Cravinhos agredindo uma mulher.

Cravinhos ofereceu R$ 1 mil aos policiais e disse que seu irmão, Daniel Cravinhos, viria de São Paulo com mais R$ 2 mil. Posteriormente, os agentes deram voz de prisão ao suspeito.

De acordo com a delegacia-sede de Sorocaba, Cravinhos está na carceragem, onde vai aguardar a audiência de custódia, prevista para 9h desta quarta-feira (18). O boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Sede Norte de Sorocaba.

A SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou, por meio de nota, que Cravinhos foi preso por porte de munição e corrupção ativa.

Volta as ruas

Cristian Cravinhos passou a cumprir sua pena em regime aberto desde o ano passado. Ele deixou o presídio de Tremembé, no interior de São Paulo, um pouco antes das 16h do dia 23.

O documento foi assinado pela Vara de Execuções Criminais de Taubaté.

Condenado a 38 anos e meio de prisão, Cristian e o irmão Daniel Cravinhos, mataram os pais de Suzane após executarem um plano arquitetado pela filha do casal.

Os três foram presos em 2002 e condenados pelo Juri Popular em 2006. Suzane e Daniel, que eram namorados na época do crime, receberam pena de 39 anos de prisão. Cristian foi condenado a 38 anos e seis meses.

Suzane e Daniel continuam presos em Tremembé, no regime semiaberto, e aguardam decisão da Justiça sobreo pedido de cumprirem a pena em liberdade.


Reprodução Record TV

O crime

Manfred e Marísia dormiam quando Suzane, o namorado dela, Daniel, e o irmão dele, Cristian Cravinhos, entraram na garagem no carro da jovem. A polícia conta que Suzane foi até o quarto dos pais para conferir se eles estavam dormindo.


Autorizados por ela, Daniel e Cristian entraram em ação. Daniel se aproximou de Manfred. Cristian, de Marísia. Foram inúmeros os golpes na cabeça com barras de ferro. Os irmãos ainda usaram toalhas molhadas e sacos plásticos para sufocar o casal.

Durante o assassinato, Suzane esperou no andar de baixo da casa. A jovem revirou o escritório para simular um assalto. Antes de ir embora, o trio embolsou 5.000 dólares e R$ 8.000 guardados por Manfred.

Depois da morte dos pais, Suzane foi com Daniel para um motel. Às três da madrugada, a jovem deixou Daniel em casa e foi em busca do irmão Andreas em uma LAN house. Ela e o irmão caçula voltaram à mansão. Ao se depararem com os pais mortos, Suzane acionou a polícia.

Na madrugada do dia 22 de julho de 2006, o Tribunal do Júri condenou Suzane e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos à prisão pelo assassinato do casal. Suzane, Daniel e Cristian foram condenados por duplo homicídio triplamente qualificado. Eles estão presos na penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo.

Cristian Cravinhos

Condenado a 38 anos e meio de prisão, Cristian e o irmão, Daniel Cravinhos, foram condenados por matar os pais de Suzane após executarem um plano arquitetado pela filha do casal.

Os três foram presos em 2002 e condenados pelo júri popular em 2006. Suzane e Daniel, que eram namorados na época do crime, receberam pena de 39 anos de prisão. Cristian foi condenado a 38 anos e seis meses.

Família von Richtofen

Manfred e Marísia dormiam quando Suzane, o namorado dela, Daniel, e o irmão dele, Cristian Cravinhos, entraram na garagem no carro da jovem. A polícia conta que Suzane foi até o quarto dos pais para conferir se eles estavam dormindo.

Autorizados por ela, Daniel e Cristian entraram em ação. Daniel se aproximou de Manfred. Cristian, de Marísia. Foram inúmeros os golpes na cabeça com barras de ferro. Os irmãos ainda usaram toalhas molhadas e sacos plásticos para sufocar o casal.

Durante o assassinato, Suzane esperou no andar de baixo da casa. A jovem revirou o escritório para simular um assalto. Antes de ir embora, o trio embolsou 5.000 dólares e R$ 8.000 guardados por Manfred.

Depois da morte dos pais, Suzane foi com Daniel para um motel. Às 3h da madrugada, a jovem deixou Daniel em casa e foi em busca do irmão Andreas em uma LAN house. Ela e o irmão caçula voltaram à mansão. Ao se depararem com os pais mortos, Suzane acionou a polícia.

Na madrugada do dia 22 de julho de 2006, o Tribunal do júri condenou Suzane e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos à prisão pelo assassinato do casal. Suzane, Daniel e Cristian foram condenados por duplo homicídio triplamente qualificado. As informações são do R7.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário