Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Alisson Henrique de Carvalho Cunha era funcionário terceirizado da escola e foi indiciado por apagar as imagens — Foto: Polícia Civil/Divulgação



A Polícia Civil divulgou, nesta sexta-feira (14), um telefone para receber denúncias sobre o homem acusado de apagar imagens das câmeras de segurança da escola onde a garota Beatriz Angélica Mota foi assassinada, em 2015, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Alisson Henrique de Carvalho Cunha, era funcionário terceirizado da escola e é considerado foragido pelos investigadores.

Quem tiver informações que possam ajudar a localizá-lo, pode entrar em contato anonimamente com a polícia através do
(81) 98650.1229, que também possui WhatsApp.

A garota Beatriz, que tinha 7 anos, foi morta com 42 facadas durante uma festa de formatura do Colégio Maria Auxiliadora, em Petrolina, no dia 10 de dezembro de 2015. Três anos depois do homicídio, ninguém foi punido e o caso continua sem esclarecimento.


Em nota, o Colégio Nossa Senhora Auxiliadora afirmou que "quanto aos vários anos em que o terceirizado Allisson prestou serviço a esta instituição, não foi registrado qualquer ato que desabonasse a conduta do mesmo", mas reafirmou confiar na Justiça. As informações são do G1 PE.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário