Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(Foto: Reprodução/ TV Grande Rio )

Na tarde desta quinta-feira (18), a Polícia Civil cumpriu mandado de busca na casa de Allinson Henrique de Carvalho Cunha, em Petrolina, no Sertão Pernambucano. Ele é suspeito de apagar imagens das câmeras de monitoramento da escola em que Beatriz Angélica Mota, de sete anos, foi assassinada a facadas em dezembro de 2015.

Os pais de Beatriz, Lucinha Mota, Sandro Romilton, além de amigos do casal, saíram do Fórum de Petrolina e foram até próximo à casa de Allinson. A informação recebida por eles era que o suspeito estava escondido em casa.
"Por volta hoje de 10 para 11 horas da manhã, recebi uma informação, uma pessoa me procurou e me disse que Allinson estaria dentro da casa dele, na residência dele. Então prontamente eu entrei em contato com as pessoas da minha confiança para que a gente pudesse fazer uma diligência lá no local. Procurei a delegada, doutora Poliana, mas está de licença médica, então eu procurei outra delegada, que é a doutora Isabela e solicitei a ela que fizesse a diligência lá no local", explica a mãe de Beatriz, Lucinha Mota.

De acordo com a Polícia Civil, um mandado de busca foi cumprido, mas após uma procura minuciosa, nada foi encontrado.

Allinson Henrique está foragido desde dezembro de 2018, quando o Tribunal de Justiça de Pernambuco decretou a prisão preventiva do ex-prestador de serviço. Ele foi indiciado por falso testemunho e fraude processual.

Beatriz Angélica Mota — Foto: Arquivo pessoal / Família


Quem tiver informações sobre o suspeito pode entrar em contato com a polícia pelos telefones (81)9 8650-1229, (81) 9 8256-4545, (81)9 8170- 2525 ou (81) 3719-4545. Não é necessário se identificar. As informações são do G1 Petrolina.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário