Jovem sai de moto para comemorar aniversário de 19 anos e é baleado e morto pela PM em abordagem em SP


Foto: Divulgação/Arquivo pessoal

Um jovem saiu de moto para comemorar o aniversário de 19 anos, mas morreu baleado na tarde de domingo (9) após ter sido perseguido e abordado por dois policiais militares de motocicletas, na Zona Sul de São Paulo. Familiares e amigos acusam os agentes da Polícia Militar (PM) de atirarem em Rogério Ferreira da Silva Júnior, mesmo ele estando desarmado.

O PM que atirou no rapaz alegou que disparou em legítima defesa porque achou que ele estivesse armado e fosse a atirar. Os próprios policiais admitem, no entanto, não terem encontrado nenhuma arma com a vítima. Os dois agentes da PM foram afastados preventivamente dos serviços de rua para o que o caso seja investigado pela Polícia Civil e pela Corregedoria da PM.

Inicialmente, a Polícia Civil e a Corregedoria da PM concordaram com a versão dos policiais e entenderam que se trata de "legítima defesa putativa", que é aquela na qual o indivíduo imagina estar em legítima defesa, reagindo contra uma agressão inexistente. Mas isso não impede que essa posição mude no futuro durante as investigações.

A Polícia Civil e a Corregedoria ainda vão analisar o vídeo gravado por câmera de segurança mostra o momento que Rogério pilotando sozinho a moto que tinha pego emprestada de um amigo . Às 17h51, o rapaz aparece sem capacete, trafegando pela Avenida dos Pedrosos, no Sacomã.

Em seguida é possível ver nas imagens o momento que dois policiais da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) cercam Rogério, que reduz a velocidade da moto até parar perto da calçada.

Na sequência, a moto tomba com o rapaz. Segundo o boletim de ocorrência do caso, Rogério teria sido baleado momentos antes de cair, ainda no momento que era perseguido. Outros vídeos, gravados logo em seguida por testemunhas com seus celulares, mostram Rogério agonizando sem socorro médico. As imagens circulam nas redes sociais.

Os PMs fazem um cordão de isolamento para impedir a aproximação da população, que demonstram revolva e acusa os agentes de execução.

“Aqui é o menino, gente”, grita desesperada uma mulher que filma Rogério.    As informações são de Tássia Sena, Giba Bergamim e Kleber Tomaz, TV Globo e G1 SP.

Postar um comentário

0 Comentários