Número de focos de queimadas em agosto no AM é o maior para um único mês desde 1998

Foto: Bruno Kelly/Reuters


O Amazonas fechou o mês de agosto deste ano com mais de oito mil focos de queimadas ativos, detectados pelo satélite de referência do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O dado, que já representava o maior para o mês nos últimos 22 anos, bateu outro recorde histórico e passou a ser o maior para um único mês - entre todos os outros - desde 1998.

O mês de agosto costuma ser o mais seco do ano na região e também é o período em que ocorrem os maiores índices de queimadas. A região passa pelo verão amazônico, vivenciado desde o mês de julho, que deve seguir até setembro. Segundo especialistas, o período deve ser marcado pelo aumento nas temperaturas no estado, que pode chegar até 36ºC no último mês da estação.

No primeiro semestre do ano, o Estado já havia registrado um aumento de 51,7% na quantidade de focos de queimada, em comparação com o mesmo período, em 2019. O quantitativo de queimadas no primeiro semestre deste ano bateu recorde dos últimos quatro anos no estado.

De acordo com os dados do Inpe, foram 8.030 mil focos de queimadas registrados durante o mês. Esse foi o maior número para um único mês desde que o levantamento passou a ser feito, em 1998. Até então, o maior registro de focos de queimadas havia sido em agosto de 2019, quando 6.668 focos foram detectados. A matéria completa no G1 AM / Patrick Marques e Rebeca Beatriz.

Postar um comentário

0 Comentários