Lázaro Barbosa: 'Por que aconteceu isso?', questiona parente de vítimas de chacina no DF

Foto: Reprodução


Treze dias após Lázaro Barbosa, de 32 anos, matar quatro pessoas da mesma família em Ceilândia, no Distrito Federal, parentes das vítimas ainda tentam entender o que aconteceu. Desde o dia do crime, em 9 de junho, o homem está em fuga e mais de 200 policiais tentam localizá-lo em Goiás.

"Eram pessoas trabalhadoras. Por que aconteceu isso?", questiona Valdevino Vidal de Oliveira.

Ele é irmão do empresário Cláudio Vidal, de 48 anos, que foi uma das vítimas. Os dois filhos dele, Gustavo Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Vidal, de 15, também foram encontrados sem vida, na chácara da família, com marcas de tiros e facadas.

A esposa de Cláudio e mãe dos jovens, Cleonice Marques, de 43 anos, foi sequestrada pelo suspeito e encontrada morta três dias após o primeiro crime. Em entrevista à TV Globo, Valdevino faz um apelo pela prisão de Lázaro.

"O pessoal [polícia] precisa botar a mão nesse cara, para ele confessar o motivo da barbaridade. Que seja preso para que não faça algo desse tipo com outras famílias", afirmou.

De acordo com Valdevino, Cleonice era uma pessoa "fenomenal" e que tinha um coração "cheio de bondade".

A cunhada de Cláudio, Sônia Maria Bezerra da Silva Oliveira, afirma que a angústia da família também é pela dúvida do que ocorreu com Cleonice. A mulher foi encontrada sem roupas próximo a um córrego da região. O corpo estava com uma marca de tiro na nuca e com ferimentos nas orelhas.

Buscas

Após matar a família Vidal, Lázaro fugiu para Cocalzinho (GO) e deixou um rastro de crimes pelo caminho. Ele é suspeito de invadir pelo menos 12 diversas propriedades rurais e se esconder no mato.

A força-tarefa formada por agentes do DF, Goiás e federais que trabalham com drones, cães farejadores e helicópteros. No entanto, o homem segue foragido.

Neste sábado (19), o grupo fez um cerco na região de Águas Lindas de Goiás, depois que um morador da região disse ter visto uma pessoa suspeita entrando em uma gruta na área.

Outros crimes

Lázaro também reponde por um homicídio qualificado praticado na Bahia e outros assaltos com requintes de agressividade na capital.

Segundo os investigadores, o suspeito é considerado perigoso e "autor de crimes bárbaros". Em 17 de maio deste ano, segundo a Polícia Civil, ele fez uma família refém na mesma região onde o casal e os dois filhos foram assassinados, em Ceilândia, e também ameaçou as vítimas com faca e arma de fogo. Durante o crime, ele mandou as pessoas ficarem nuas.

"Analisando os mandados de prisão dele, obviamente a gente conclui que é uma pessoa extremamente violenta e autor de crimes bárbaros. A brutalidade com que as pessoas foram assassinadas chama atenção", diz a polícia.

Um laudo psicológico, feito em 2013, aponta que Lázaro é "um psicopata imprevisível", acostumado a andar e dormir no mato.

Essas informações são do G1 DF e TV Globo

Postar um comentário

0 Comentários