Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(Foto: Fernando Dantas / Gazeta Press)


Demorou, mas aconteceu. Em um de seus melhores jogos no ano, o Corinthians venceu o Vasco pelo placar mínimo em casa e voltou a vencer no Brasileiro. Depois de muito tentar, criar e errar gols feitos, além de reclamar dois pênaltis em Jô, o Timão contou com uma mão do juiz e do seu centroavante para sair do desespero. Em cruzamento de Marquinhos Gabriel, o camisa 7 usou o braço direito para colocar para dentro e fazer o 1 a 0.
Com o resultado, o Timão chega aos 53 pontos conquistados, abrindo dez de vantagem para o Grêmio, que perdeu para a Chapecoense dentro da sua casa. De quebra, ainda voltou a vencer após três jogos sem triunfo dentro de casa. Do outro lado, o Cruzmaltino estacionou nos 31 pontos conquistados, ficando mais longe da briga por uma vaga na Libertadores da América.
Na próxima rodada, os comandados de Fábio Carille terão pela frente o clássico contra o São Paulo, marcado para as 11h (de Brasília) do domingo, no estádio do Morumbi. Antes, porém, fecham as oitavas de final da Sul-Americana contra o Racing, na Argentina, quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), precisando de uma vitória ou empate por dois gols ou mais para avançar. Do outro lado, Zé Ricardo e sua trupe visitam o Sport, na segunda-feira, dia 25, na Ilha do Retiro.
Corinthians pressiona, mas não marca
Pressionado pelo mau momento e empurrado pelo estádio lotado, o Corinthians fez um bom primeiro tempo diante de um bem montado, mas pouco criativo Vasco. Contando com grande atuação coletiva, o Timão envolveu o adversário em diversas oportunidades, principalmente quando o trio Romero, Rodriguinho e Jadson trocava de posição e confundia a desatenta marcação adversária.
O primeiro lance de perigo veio aos seis minutos de bola rolando, quando Madson furou cabeçada no meio-campo e a bola ficou para Romero. O paraguaio acionou Jadson, que se livrou facilmente de Breno e tocou para Rodriguinho, livre entre os zagueiros. O meia girou e chutou forte, mas mandou na rede pelo lado de fora. Dez minutos depois, em outro vacilo da zaga, Jô dominou a bola na área e levou uma trombada de Anderson Martins. O juiz nada marcou.
O Vasco buscou alguns contra-ataques, principalmente pelos pés do meia Nenê, que levou perigo em um chute da entrada da área. Cássio espalmou e a zaga afastou. Na sequência, Ramon foi quem arriscou e viu o arqueiro novamente espalmar, dessa vez com mais segurança, para o lado. Na resposta corintiana, Jô recebeu dentro da área e foi calçado por Breno, mas mais uma vez o árbitro não viu qualquer irregularidade.
O melhor lance corintiano, no entanto, saiu já nos acréscimos. Romero recebeu pelo lado esquerdo, passou pela marcação de Madson e cruzou ao chegar na linha de fundo. Jô passou pela bola e Rodriguinho, completamente livre, na pequena área, conseguiu cabecear muito mal, por cima do gol, para desespero tanto dos companheiros em campo quanto da torcida, inconformada com o 0 a 0 no placar no intervalo.


“La mano” de Jô
A etapa final começou no mesmo ritmo da primeira, com o Timão sufocando os cariocas e jogando praticamente todo o tempo no seu campo de ataque. O lance de perigo mais uma vez caiu nos pés de Rodriguinho, que apareceu livre no meio da área em contra-ataque e chutou de primeira. Martin SIlva, bem posicionado, conseguiu uma grande defesa e mandou para escanteio. Na cobrança, Balbuena, livre, não conseguiu cabecear.
A pressão foi constante, mas os erros de finalização do Alvinegro seguiram incríveis. Em ótimas jogada construída pelo lado direito, Rodriguinho chutou cruzado e Jô não conseguiu concluir o lance, aos 14 minutos. Pouco depois, em linda tabela de Rodriguinho e Fagner, o meia deixou o lateral livre dentro da área. Consciente, ele rolou para trás e achou Jadson livre na marca do pênalti, mas o meia pegou mal e chutou por cima do gol.
O erro foi a senha para Carille optar por tirar o camisa 10 e mandar a campo Marquinhos Gabriel, ganhando mais velocidade pelas pontas. E a tentativa deu certo aos 28 minutos de bola rolando, quando o camisa 31 recebeu na esquerda e deu um rolinho em Madson. Rápido, ele ganhou do lateral e chegou à linha de fundo para cruzar. A bola desviou na marcação e encobriu Martin Silva. Em cima da linha, Jô desviou com o braço e marcou, mas o juiz não marcou qualquer irregularidade.
O gol fez com que o Vasco saísse mais para o jogo, usando o jovem Paulinho, que ingressou na vaga de Ríos, para formar uma dobradinha com Nenê. Quem levou mais perigo, porém, foi o Timão, que só não ampliou a vantagem porque Romero e Jô não conseguiram concluir os lances a gol.
FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 1 X 0 VASCO
Local: Estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 16 de setembro de 2017, domingo
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabrício Vilarinho da Silva (Fifa-GO) e Cristhian Passos Sorence (GO)
Público: 41.235 pagantes
Renda: 2.436.134,70
Cartões amarelos: Romero (Corinthians); Breno e Wagner (Vasco)
Gols:
CORINTHIANS: Jô, aos 28 minutos do segundo tempo
CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Maycon, Camacho, Jadson (Marquinhos Gabriel)  , Rodriguinho (Giovanni Augusto) e Romero; Jô (Kazim)
Técnico: Fábio Carille
VASCO: Martín Silva; Madson, Breno, Anderson Martins e Ramon; Jean (Éder Luis), Gilberto (Escudero), Mateus Vital, Wagner e Nenê; Andrés Ríos (Paulinho)
Técnico: Zé Ricardo

Fonte: Gazeta Esportiva

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você