Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]



Tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) deste ano, a educação inclusiva de surdos é uma prática da Rede municipal de ensino de Petrolina. Todos os alunos com surdez ou algum tipo de deficiência auditiva são atendidos de forma plena em suas unidades escolares.

Ao total, 59 alunos, em 40 escolas na sede e no interior, recebem atendimento do Núcleo de Apoio Psicopedagógico aos Portadores de Necessidades Especiais (NAPPNE). Os estudantes têm direito a intérprete e/ou instrutor, além de reforço escolar no contra turno, através do Atendimento Educacional Especializado (AEE), com português, que, no caso, é a segunda língua, já que a Linguagem Brasileira de Sinais (Libra) é considerada língua materna. “O debate sobre educação inclusiva, que garanta direitos, é uma preocupação da gestão do prefeito Miguel Coelho que estamos seguindo. Nossa ação vai além do atendimento, que é importante, mas queremos ampliar o debate na formulação das politicas públicas inerentes”, pontua Maéve Melo, secretária de educação de Petrolina.

Um dos alunos que recebem atenção do NAPPNE é Isaac de Amorim Rodrigues, de 12 anos, estudante do 6º B da Escola Nicolas Boscadin, no bairro Fernando Idalino. Isaac, que sonha em trabalhar no shopping se comunicando com as pessoas, tem uma grande aliada para seus estudos: a intérprete Lilian Cristina Lopes - que o acompanha em todas as aulas. “Colaboro no aprendizado dele, facilitando as mensagens que o professor passa”, pontua Lilian.

O apoio da intérprete só apresenta benefícios para o aluno. De acordo com o professor de História, Geraldo Alcântara, a presença da Lilian trouxe uma nova dinâmica para Isaac. “Antes, sem o apoio da professora Lilian, ele era um aluno tímido, que vivia no mundo dele, com certas dificuldades, mas hoje ele é diferente, mais presente e dedicado”, comenta.

De acordo com Ana Lúcia de Souza, coordenadora de surdez do NAPPNE, o trabalho desenvolvido tem a intenção de garantir o direito e autonomia aos alunos. “Estamos trabalhando para garantir cada vez mais a inclusão dos alunos e que eles posam ter uma educação de qualidade como todos”, frisa. A diretora do Núcleo, Emiliana Freire, garante que o trabalho desenvolvido pela Secretaria de Educação é de ampliar a discussão na consolidação dos direitos e das politicas públicas. “O tema da redação do Enem foi muito importante para despertar em toda sociedade esse assunto que nós, aqui, já estamos trabalhando muito e vamos ampliar o debate e as ações efetivas em todos os campos da educação inclusiva (...) NAPPNE trabalha pela inclusão de todas as formas de deficiências.”

Além das ações na escola, como garantia de formação dos surdos, a gestão municipal inova na questão de acessibilidade. Desde que assumiu, o prefeito Miguel Coelho tem em sua companhia em eventos públicos a presença do intérprete em LIBRAS, Luiz Germano, além de ampliar a oferta de cursos na área. Em fevereiro do próximo ano, por exemplo, novas turmas de LIBRAS serão abertas pelo Núcleo Municipal de Línguas (NUMEL) para o público em geral e uma turma exclusiva para professores e implantação de uma escola bilíngue (Libras-português) estão sendo debatidos como ações para continuar avançando no setor.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você