Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Foto: Reprodução

Lucinha Mota, mãe da menina Beatriz Angélica, criticou o vazamento de informações sobre as investigações do assassinato da sua filha, morta brutalmente a facadas no Colégio Nossa Senhora Auxiliadora, em Petrolina, em dezembro de 2015.

Esta semana circularam em redes sociais informações sobre o indeferimento da prisão de um ex-funcionário do colégio, o qual teria apagado supostas imagens do circuito interno da noite em que o crime aconteceu.

À imprensa da região, Lucinha afirmou que “ele atrapalhou mais de um ano uma investigação policial. Ele deu fuga ao assassino”, afirmou.

As críticas mais contudentes da mãe de Beatriz são contra o Judiciário. Ela informou que vai recorrer da decisão da juíza que indeferiu a prisão do suspeito, solicitada pelo Ministério Público estadual (MPPE). “Nós vamos recorrer, pois o Ministério Público acatou o pedido da prisão”, argumentou.

Vale ressaltar que, desde o início, a Polícia Civil (PC) afirma que as investigações são sigilosas. A mãe de Beatriz disse que não é justo que pessoas fiquem disseminando informações que deveriam ser de conhecimento apenas das autoridades. As informações são do Blog do Carlos Britto.



IMPORTANTE: Homem citado pela mãe da menina Beatriz, Não tem nome divulgado nesse Blog para não atrapalhar as investigações da Polícia.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você