Slider[Style1]

Style10

impostometro de Petrolina

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Publicidade

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Funcionários do HU em Petrolina estão com as atividades paradas (Foto: Sindserh-PE / Divulgação)


Servidores do Hospital Universitário de Petrolina (HU-Univasf), ligados ao Sindicato Estadual dos Trabalhadores de Empresas Públicas de Serviços Hospitalares (Sindserh-PE), paralisaram as atividades nesta segunda-feira (13). A categoria cobra da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) rapidez nas negociações do Acordo Coletivo de Trabalho referente a 2017/2018. O grupo alega que a empresa não aceitou as propostas apresentadas.

“As negociações começaram em maio deste ano, mas, até agora, a empresa não aceitou nenhuma proposta. Eles dizem que não podem dar aumento de salário nem as cláusulas sociais para os funcionários”, explica a coordenadora geral do Sindserh-PE, Iara Freire.

De acordo Iara Freire, além de Pernambuco, a mobilização está sendo feita em Alagoas, Amazonas, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte e no Distrito Federal.

Segundo a coordenadora geral do Sindserh-PE, a paralisação deve seguir até a terça-feira (21). “Caso a empresa queira negociar, encerramos antes”, afirma a sindicalista.

A paralisação no HU-Univasf, de acordo com o sindicado, conta com a adesão de fonoaudiólogos, psicólogos, fisioterapeutas, assistentes sociais, técnicos em enfermagem, laboratório e radiologia, além de terapeutas ocupacionais. Cerca de 50 funcionários estão mobilizados. O comando de greve ainda não recebeu retorno sobre a adesão ou não dos médicos ao movimento.

Em nota, o HU informou que “alguns serviços oferecidos pela unidade poderão ser momentaneamente suspensos. As cirurgias eletivas e consultas ambulatoriais que possam ser interrompidas serão remarcadas posteriormente. Os atendimentos de emergência e urgência, além da assistência profissional aos pacientes internados serão mantidos durante o período de paralisação”.

Ainda na nota, a direção do Hospital lembra que "a responsabilidade sobre as negociações do Acordo Coletivo de Trabalho é da Ebserh e espera que as partes entrem em acordo o mais rápido possível".

Também através de nota, a Ebserh disse que as negociações para finalizar o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT 2017/2018) continuam.

"As conversas acontecem no âmbito do Tribunal Superior do Trabalho (TST). A Ebserh se mantém, junto aos seus empregados, na direção de modernizar a gestão dos hospitais universitários federais, preservando e reforçando o papel estratégico desempenhado por essas unidades de centros de formação de profissionais na área da saúde e de prestação de assistência à saúde da população, com resultados positivos que diferenciam os nossos profissionais e cada um dos HU". As informações são do G1 Petrolina.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário

Recomendados Para Você