Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(Créditos: Reprodução / PSG)



Entre Cavani e Neymar, o clima não poderia estar melhor: os dois marcaram na tarde deste sábado e comemomaram bastante juntos, enquanto o uruguaio finalmente se tornou o maior artilheiro da história do Paris Saint-Germain (157 gols, um a mais que Ibrahimovic). A torcida também mostrou que não tem nada contra Neymar: o Parque dos Príncipes foi só aplausos quando o craque pegou a bola para cobrar o pênalti no primeiro tempo, diferente das vaias há pouco mais de uma semana. Só que o brasileiro, por sua vez, ainda guarda um bocado de rancor: ao fim do jogo, não ficou com o resto do elenco para saudar a torcida. Em meio a isso tudo, parece até que a vitória por 4 a 0 sobre Montpellier ficou em segundo plano.

O NOVO REI DE PARIS
Curvem-se diante de Cavani, o novo maior artilheiro da história do Paris Saint-Germain. Com o gol sobre o Montpellier, ele chegou aos 157, um a mais que os 156 marcados por Ibrahimovic. Logo aos 11 minutos do primeiro tempo, o atacante encerrou a ansiedade que certamente o consumia desde a goleada sobre o Dijon. Na ocasião, ele balançou as redes e poderia ter alcançado o recorde em seguida, mas Neymar cobrou o pênalti e desencadeou mais uma polêmica. Contra Lyon e Guingamp, o uruguaio esteve em campo, mas não marcou.

Cavani marcou o gol histórico e extravasou jogando a camisa para a torcida. Em seguida, foi até a área técnica pegar uma nova. Quando voltava para o campo, recebeu os cumprimentos do árbitro diante do feito, ganhou um aperto de mão e um cartão amarelo.

Foi certamente uma tarde de festa no Parque dos Príncipes. Cavani fez seu gol de número 157 e recebeu um abraço prolongado de Neymar. Quando o brasileiro marcou de pênalti, foi a vez do uruguaio correr e levantá-lo na comemoração, um sinal de que não há mágoa entre os dois jogadores. Mas o rancor do camisa 10 com a torcida persiste. Vaiado na goleada sobre o Dijon por não ter deixado Cavani cobrar o pênalti, Neymar foi direto para o vestiário após a vitória e não saudou os torcedores com o restante do elenco.



(Créditos: Reprodução / AFP)

FALA, NEYMAR!
"Eu estava com dor nas costas, não queiram fazer polêmica com isso. Obrigado", disse Neymar quando perguntado sobre o fato de ter ido direto para os vestiários.

Que fique registrado que Àngel Di María foi o melhor jogador em campo neste sábado. Aberto pelo lado direito, o argentino comeu a bola. Não participou dos dois primeiros gols, é verdade, mas marcou o terceiro e puxou o contra-ataque que terminou no quarto. Além disso, foi agudo o tempo inteiro e deu um trabalho danado para a defesa do Montpellier. Jogou demais! As informações são do Globoesporte.globo.com




Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário