Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Inspetor de máquinas e equipamentos, Cláudio Márcio dos Santos, de 46 anos, está entre os desaparecidos da tragédia de Brumadinho — Foto: Ana Paula dos Santos/ Arquivo pessoal

O inspetor de máquinas e equipamentos, Cláudio Márcio dos Santos, de 46 anos, está entre os desaparecidos desde o rompimento de uma barragem de rejeitos da mineradora Vale em Brumadinho, no estado de Minas Gerais. A ex-mulher e dois filhos do desaparecido que moram em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, viajaram nesta quarta-feira (30) para Minas Gerais para ficar próximo da família e buscar mais informações sobre o desaparecido.

A ex-mulher Ana Paula dos Santos diz que tem esperanças que Cláudio Márcio seja encontrado com vida. "Nós recebemos essa notícia com muita tristeza. Foi um impacto muito grande, porque os meus filhos estão sofrendo muito. Nós temos fé que ele possa estar vivo".

A última informação que a família recebeu sobre Cláudio Márcio dos Santos foi por meio de um colega de trabalho que esteve com ele poucos minutos antes do rompimento da barragem. "Ele estava conversando com um amigo, que terminou o serviço, saiu e deixou ele, que ainda estava terminando o trabalho. Foi na hora que aconteceu", contou Ana Paula.
Os custos da viagem estão sendo pagos pela Vale, mas Ana Paula e os dois filhos preferiram dispensar o hotel que a empresa ofereceu, e se hospedar com parentes em Itabirito, cidade mineira a 43 quilômetros de Brumadinho.

Cláudio Márcio dos Santos Júnior, de 16 anos, que tem o mesmo nome do pai, lembra da última conversa entre eles. "Eu havia falado com ele na terça via telefone fixo da empresa que ele trabalhava. A gente estava planejando de morar em Minas Gerais, porque ele queria os filhos mais próximo dele e a gente sempre conversava a data e se ele já havia saído da casa, ajeitando o apartamento para a gente morar perto dele. Não via a hora de voltar a morar perto do meu pai, porque a gente só se via nas férias", explicou.


No retorno a Minas Gerais, o adolescente disse que está ansioso para rever a madrasta e o irmão de seis meses, e mais ainda reencontrar o pai e seguir com os planos de morarem perto um do outro. "Eu tenho bastante esperança, porque chegou o pessoal de Israel e as buscas estão cada vez mais intensas. Estão encontrando pessoas vivas, tanto na floresta, pessoas ilhadas", destacou Júnior. As informações são da Juliane Peixinho / G1 Petrolina.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário