Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Neymar treina no campo observado por Tite, técnico da seleção brasileira — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Tite e Neymar tiveram uma longa conversa antes do treino de domingo, quando se reencontraram após o vazamento da denúncia de estupro feita por uma mulher contra o atacante. Neymar chorou bastante ao comentar o fato. Disse estar cansado de confusões, negou a acusação e, por fim, pediu para participar normalmente do treino, pois o trabalho e a presença dos companheiros lhe fariam bem.

O nível de qualidade apresentado no treino foi o indício mais forte de que a Seleção, ao menos por enquanto, assimilou bem a delicada situação vivida por seu principal jogador.
Foi o segundo encontro privado importante entre técnico e atacante desde o início da preparação para a Copa América. Uma semana antes, Tite havia comunicado Neymar que ele não seria capitão da seleção brasileira durante o torneio, em razão da agressão cometida ao ser provocado por um torcedor, em Paris. Daniel Alves herdou a faixa.

Das duas conversas, o treinador saiu satisfeito. Em sua entrevista coletiva, na manhã de segunda-feira, Tite ressaltou diversas vezes que seus papos com o jogador, quando estão sozinhos, são “leais, verdadeiros e sinceros”.

– Eu tive duas conversas com ele, de cunho particular. Isso é meu e dele. Não tinha mais gente. Nós sabemos o que falamos, não tem meias-verdades. Como aconteceu em relação à capitania e a importância de ele estar agora focado ao trabalho – disse.

Abalado pela acusação de estupro, a ponto de ter se defendido com um vídeo nas redes sociais em que expôs conversas e fotos íntimas da mulher, o que o levará a depor na investigação de suposto crime virtual, Neymar desabafou por alguns minutos. Tite escutou pacientemente.

A mesma preocupação que Tite demonstrou diante dos jornalistas, de não fazer julgamentos, ele teve frente a frente com seu atleta. Nem para defender nem condenar. Seu temor, como técnico, era saber se o fato poderia abalar seu desempenho nos treinamentos e, consequentemente, nos amistosos contra Catar e Honduras e na Copa América.
A manifestação do desejo de treinar convenceu Tite. Horas depois, a comissão técnica comemorou o desempenho da atividade, fechada aos jornalistas.

Tanto de Neymar, foco de temor individual, quanto do grupo, que, num primeiro momento, parece ter reagido bem a um problema que, embora a Seleção diga que é pessoal, afeta todos os envolvidos.

Veja as informações da seleção brasileira para o amistoso contra o Catar:

Local: estádio Mané Garrincha, em Brasília
Data e horário: quarta-feira, às 21h30 (de Brasília)
Escalação: Ederson, Daniel Alves, Marquinhos, Miranda e Filipe Luís; Casemiro, Arthur e Coutinho; Richarlison, Neymar e Gabriel Jesus. Técnico: Tite
Reservas: Cassio, Phelipe, Militão, Thiago Silva, Alex Sandro, Fernandinho, Allan, Paquetá, David Neres e Everton.
Desfalques: Alisson e Firmino só se apresentam em Porto Alegre na quinta. Fagner se apresenta à seleção brasileira nesta terça-feira e será avaliado.
Provável escalação do Catar: Al Sheeb, Pedro Correia, Al Rawi, Khoukhi, Salman e Hassan; Madibo, Haydos e Hatem; Afif e Almoez Ali. Técnico:Felix Sánchez
Arbitragem: Jose Argote, auxiliado por Lubin Torrealba e Franchescoly Chacón (todos da Venezuela)
Transmissão: TV Globo (narração de Cleber Machado, comentários de Caio Ribeiro e Júnior, reportagens de Tino Marcos e Mauro Naves), SporTV (narração de Milton Leite, comentários de Lédio Carmona e Muricy Ramalho, reportagens de Eric Faria e Felipe Brisolla) e GloboEsporte.com
Tempo Real: no GloboEsporte.com, a partir das 20h. As informações são de Alexandre Lozetti e Raphael Zarko / GloboEsporte.com.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário