Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Departamento de Repressão aos Crimes Patrimoniais (Depatri), no Recife, recebe parte dos presos na Operação Fidúcia (Foto: Mônica Silveira/TV Globo)

A o menos quatro pessoas foram presas, nesta terça-feira (22), durante uma operação da Polícia Civil de Pernambuco contra uma quadrilha especializada em roubo de cargas, denominada Fidúcia. Ao todo, foram emitidos 13 mandados de prisão preventiva, sendo cinco contra pessoas que já estão presas, além de 11 mandados de busca e apreensão domiciliar.

Os mandados foram cumpridos nos estados de Pernambuco, Piauí, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, de acordo com a polícia. Um dos presos foi abordado pela polícia no Aeroporto de Teresina (PI).

Além disso, outras cinco pessoas que já estavam no sistema penitenciário foram alvos de novos mandados de prisão preventiva. Três deles no estado de Minas Gerais, um em Caruaru e outro em Goiana, no Grande Recife.

O grupo é investigado por roubo majorado, ou seja, com emprego de violência; furto qualificado, apropriação indébita qualificada e comunicação falsa de crime. "O crime mais participativo em relação a associação criminosa seria o roubo, inclusive com a participação dos motoristas, com informações privilegiadas. E ações também em outros estados", afirmou o delegado.

Ainda de acordo com Souto, a quadrilha não tinha um foco de produtos a serem roubados. "Era carga generalizada, cargas frias, de diversos produtos. Não havia uma escolha específica do deito praticado em relação à carga”, disse o delegado Nelson Souto.

Fidúcia significa gesto confiante, comportamento ousado. A polícia aponta que, justamente por isso, foi escolhido este nome para operação, uma vez alguns integrantes da quadrilha atuavam, de forma ousada, valendo-se da confiança que detinham para a prática dos crimes.

Com o preso do município de Paulista, a polícia apreendeu, ainda, um caminhão branco, fruto de roubo.

Para esta operação, foram designados 100 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. A operação é coordenada Diretoria Integrada Especializada (DIRESP). As investigações começaram em outubro de 2017, a cargo do delegado Edmilson Batista, titular da Delegacia de Polícia de Repressão ao Roubo e Furto de Carga (DPRFC), com o apoio da delegada adjunta da unidade, Priscilla Gomes. As informações são do G1 PE.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário