Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Trabalho dos bombeiros nos destroços — Foto: Raísa Pires/G1

Nove pessoas ficaram feridas em um acidente envolvendo dois trens que colidiram na altura da Estação São Cristóvão da SuperVia, na Zona Norte do Rio, na manhã desta quarta-feira (27). Entre os feridos está um dos maquinistas, que ficou preso entre os destroços. Os outros sete feridos foram levados para o Hospital Souza Aguiar.
A colisão aconteceu entre um trem do ramal de Deodoro, que vinha da Central, e uma composição ainda não identificada que também saiu da Central. O acidente aconteceu às 6h55.

O choque foi tão violento que a locomotiva de um dos trens se soltou do chassi e ficou esmagada. Bombeiros tentavam desde as 7h15 abrir caminho entre esses destroços para soltar o condutor.

Bombeiros dos quartéis do Centro, Praça da Bandeira e Vila Isabel trabalham no resgate com o auxílio de alicates hidráulicos e desencarceradores, utilizados para cortar peças de aço.

Quase três horas depois do acidente, bombeiros ainda tentavam retirar o maquinista das ferragens, por volta das 10h. O calor no local é grande e bombeiros que não atuam diretamente nas ferragens estão distribuindo água para os companheiros. Os agentes estão encontrando muita dificuldade para chegar até a vítima. Eles já retiraram parte do entulho, mas precisam entrar cada vez mais entre as ferragens para tentar resgatar o maquinista.
Estrondo e queda

Passageiros que estavam em um dos trens contam que ficaram assustados no momento da colisão e que muita gente caiu. Segundo Andreia Mathias, que estava a caminho do trabalho, as pessoas só se deram conta da gravidade da batida quando saíram da composição.

“A gente escutou aquele baque, e todo mundo caiu dentro do trem. Aí um camelô tentou nos acalmar, né, acudiu alguém que caiu e falou: 'Gente, calma, fica calma que foi só o trem que descarrilhou. Aí, nisso que nós levantamos e começamos a andar, estavam vindo os guardas e o apoio da SuperVia. Quando nós saímos do trem que nós vimos a gravidade que foi”, afirmou Andreia.

Os trens do ramal Deodoro estão com intervalos irregulares, circulam com atraso e não estão parando na estação Praça da Bandeira, no sentido Deodoro, e na estação São Cristóvão, no sentido Central do Brasil. Os passageiros estão sendo informados pelos canais de comunicação da concessionária.

A estação onde aconteceu o choque tem baldeação com a Linha 2 do metrô. Quatro ramais da SuperVia param em São Cristóvão.

Investigação

Em nota, a concessionária informou que uma sindicância foi instaurada para apurar as causas do choque.

A Agetransp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes Aquaviários, Ferroviários e Metroviários e de Rodovias do Estado do Rio de Janeiro) informou, em nota, que está investigando as circunstâncias do acidente.
"Equipes técnicas foram enviadas à estação para fazer o levantando do local do acidente. Além das causas da colisão, também serão objeto de análise pela agência reguladora a adequação do atendimento prestado aos usuários pela concessionária SuperVia e dos procedimentos adotados para o restabelecimento da normalidade na operação comercial dos trens. A concessionária poderá ser multada", afirmou a nota. As informações são de Genilson Araújo, Guilherme Peixoto e Raísa Pires*, TV Globo e G1 Rio.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário