Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]




Além dos crimes de gênero que matam uma mulher a cada sete horas no Brasil, a GloboNews mostrou, neste domingo (8), Dia Internacional da Mulher, um levantamento da plataforma Fogo Cruzado, que contabilizou 36 pessoas do sexo feminino -- incluindo crianças, adolescentes e idosas -- baleadas no Grande Rio neste início de 2020.

Desse total, 22 foram vítimas de bala perdida e outras quatro foram baleadas enquanto estavam dentro de casa. Cinco delas morreram.

Violência em todas as faixas etárias

Ainda de acordo com O levantamento, a violência armada atingiu mulheres de todas as idades. Entre as 36 mortas estão:

. 4 crianças menores de 12 anos, com 1 morte


. 4 adolescentes entre 12 e 18 anos incompletos

. 2 mulheres com mais de 60 anos, com 1 morte

. 26 mulheres entre 18 e 60 anos

A vítima de bala perdida mais jovem foi Nicole Mariah Carvalho, de 3 anos, quando saía da igreja com a mãe e a avó no dia 6 de fevereiro, em Bangu. A vítima mais velha foi de 78 anos, atingida em janeiro, no quintal de casa em São Gonçalo.

Mulheres atingidas por áreas

O Leste Metropolitano (Itaboraí, São Gonçalo, Niterói, Maricá, Tanguá, Cachoeira de Macacu e Rio Bonito) registrou 11 baleadas e uma morta.

. Na Zona Norte, houve 10 baleadas e uma morta.


. Na Zona Oeste, houve 8 baleadas e uma morta.

. Na Baixada Fluminense, houve cinco baleadas e uma morta.

. No Centro, uma mulher foi morta.
As informações são de Lizandra Rodrigues / GloboNews, G1 Rio.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário