Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(Foto: Ferenc Isza / AFP)

Mais líder do que nunca. Foi assim que Lewis Hamilton voltou do Grande Prêmio da Hungria de Fórmula 1, realizado nesta manhã de domingo, no circuito de Hungaroring, já que o britânico, pole position, venceu com sobras. O triunfo do tetracampeão mundial só foi possível graças ao trabalho em equipe bem executado da Mercedes, com Valtteri Bottas segurando as Ferraris pela maior parte do tempo.

Entretanto, o finlandês da Mercedes permitiu que tanto Vettel quanto Raikkonen realizassem a ultrapassagem nas últimas voltas da corrida, ficando de fora do pódio. Bottas chegou ainda a ser pressionado por Ricciardo, que fez bela corrida de recuperação, e, após colisão, recebeu ordens da Mercedes para que deixasse o australiano fazer a manobra que o colocou no quinto lugar.

Com o resultado, Hamilton agora vai para a “mini-férias” da categoria, que só volta no último final de semana de agosto, na liderança absoluta do campeonato de pilotos. O britânico soma, agora, 213 pontos na tabela de classificação.

No circuito de Hungaroring, famoso por não possuir muitos pontos de ultrapassagem, o finlandês Valtteri Bottas fez questão de “segurar” os dois carros da Ferrari na largada e não permitir que estes se aproximassem do pole position Lewis Hamilton, seu companheiro de time. A estratégia e trabalho em equipe da Mercedes funcionou, com o britânico se distanciando do restante do pelotão e Bottas bloqueando os rivais.

Igualmente no início da corrida, o desempenho da RBR, abaixo de sua média no final de semana, consolidou-se. Max Verstappen sofreu com problemas na potência do motor na quinta volta e teve que abandonar a corrida, enquanto Daniel Ricciardo caiu posições na largada e foi obrigado a realizar uma corrida de recuperação. Decepcionante para a equipe que foi bem nos primeiros treinos livres na Hungria.

Com a superioridade das Mercedes na pista, a Ferrari apostou na estratégia de pit stops para tentar “arrancar” algo da corrida. A escuderia italiana, entretanto, vacilou em uma parada de Kimi Raikkonen e em outra de Sebastian Vettel. Com 30 voltas para o final do Grande Prêmio, o alemão encontrava-se na terceira posição enquanto o finlandês era somente o quinto.

Enquanto isso, Hamilton e Bottas faziam suas corridas normalmente. Após a parada de Vettel, o finlandês da Mercedes teve que duelar com o rival pela segunda colocação, já que o piloto da Ferrari voltou de seu pit stop logo atrás de Valtteri.

Com isso, a estratégia e trabalho em equipe da Mercedes teve que novamente ser feito. Enquanto Bottas segurava os rivais, Hamilton sobrava na pista e liderava com sobras.

Entretanto, com leves problemas nos pneus traseiros, o finlandês da Mercedes começou a sofrer pressão intensa de Sebastian Vettel, que era seguido de perto pelo próprio companheiro de equipe, Kimi Raikkonen. Com 10 voltas para o final da corrida, a briga entre os três era boa.

Já perto do final da corrida, Vettel e Raikkonen conseguiram ultrapassar Bottas, com Hamilton já bem à frente. Entretanto, na manobra, Bottas bateu na parte traseira do carro do alemão, ficando para trás. Na quarta colocação, o piloto ainda recebeu pressão de Ricciardo, da RBR, mas uma nova colisão envolvendo o membro da Mercedes não permitiu que o australiano realizasse a passagem. Entretanto, uma ordem da equipe alemã, temendo punição, fez com que Valtteri cedesse a posição para o rival.

Na 70ª volta, Hamilton recebeu a bandeira quadriculada sem problemas e com sobras, assim como ficou sua situação na tabela de classificação de pilotos. As Ferraris, que não tiveram chance de vitória graças ao trabalho em equipe do time rival, completaram o pódio. As informações são da Gazeta Esportiva.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário