Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

Foto: Reprodução / Internet

Mesmo nas grandes cidades é preciso tomar cuidado com incidentes com animais peçonhentos, em especial os escorpiões, que estão aparecendo com mais frequência. De acordo com o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), no primeiro bimestre de 2019 foram registrados 4.025 casos e 2 óbitos relacionados a acidentes com o animal em São Paulo.
Para diminuir os riscos, alguns cuidados básicos podem ser tomados, como manter os quintais, terrenos baldios e jardins limpos. É importante não acumular entulho e lixo doméstico, aparar grama dos jardins e recolher as folhas caídas.

Coloque o lixo em sacos plásticos, que devem ser mantidos fechados para evitar o aparecimento de moscas, baratas e outros insetos, que são os alimentos favoritos dos escorpiões.

A diarista Clélia Rosa foi picada por uma Jararaca dentro de sua casa. “Primeiro procedimento que a gente deve tomar é ir para o hospital, mesmo que você não tenha certeza de qual bicho te picou. Depois é muito importante sempre olhar muito para o chão e prestar atenção onde pisa”, alerta.

Em caso de picada de cobra, por exemplo, é recomendável lavar o local com água e sabão, sem aplicar qualquer tipo de produto ou medicação. No caso da ferroada de escorpião, a primeira medida é colocar compressas de água morna sobre a ferida. Já com aranhas ou queimaduras de taturanas, não mexa no ferimento e procure atendimento médico imediatamente.

“Mantenha primeiro a tranquilidade, no máximo lavar o local da picada com água e sabão e a pessoa deve procurar um serviço médico mais próximo de sua residência para que o diagnóstico desse acidente seja feito e verificar se há necessidade ou não de tomar um soro para inativar o veneno”, explica o diretor médico do Hospital Vital Brasil, Carlos Roberto de Medeiros.

De acordo com o médico Anthony Wong, do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas da FMUSP, em casos de picadas em crianças e adolescentes, os pais precisam ter calma e, principalmente, observar as características do animal.
“O escorpião brasileiro é venenoso, mas não é fatal. Em adultos, a picada do bicho provoca muito dor, mas em 98% dos casos o controle pode ser feito por anestésicos ou analgésicos. Já crianças ou adolescentes até 15 anos são bem mais suscetíveis ao veneno tanto da cobra quanto do escorpião e da aranha”, afirma.

O biólogo Giuseppe Puorto alerta que “é fundamental que as pessoas sigam essas recomendações em casos de acidentes com animais peçonhentos e procurem, o quanto antes, o serviço médico mais próximo”. Com informações da Comunicação do Governo de São Paulo. As informações são do Noticias ao Minuto.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário