Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]



Foto: Reprodução / Agência FAPESP

Apesar de todos os problemas acarretados com a pandemia do novo coronavírus em todo o mundo, a imposição do isolamento social para controlar o avanço da doença ajudou a reduzir os níveis de poluição nas grandes cidades, como mostra a reportagem de Daniel Antonio à Agência FAPESP.

Isso acontece porque a principal fonte de emissão de poluentes é a frota veicular, que durante a quarentena está menos ativa do que o normal. A avaliação é da professora do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG-USP), Maria de Fátima Andrade.

“Tanto para monóxido de carbono (CO) como para óxido de nitrogênio (NOx), os veículos de passageiros explicam mais de 80% da emissão de CO e os veículos a diesel explicam mais de 75% da emissão de óxido de nitrogênio. E esses poluentes têm uma relação muito grande com impactos à saúde”, explica a pesquisadora.

A professora ressalta ainda o agravamento desse quadro com a chegada do inverno, quando as altas concentrações estão ligadas à diversos problemas de saúde das populações nas grandes cidades. As informações são do Portal do Governo/SP.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário