Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

(Foto: Polícia Federal/Divulgação)

A Polícia Federal apreendeu quase 70 quilos de haxixe na terça-feira (27), no Recife e na Região Metropolitana. Três pessoas, que entregariam a droga no Rio de Janeiro, foram presas com os entorpecentes. Segundo a PF, essa foi a maior apreensão de haxixe registrada pela corporação no estado.

Os policiais faziam fiscalização de rotina no Aeroporto Internacional dos Guararapes, na Zona Sul da capital, quando identificaram duas malas com objetos de formato retangular através do raio-X.

Um homem de 30 anos, identificado como Rogério, e uma mulher de 40 anos, 
identificada como Simone, ambos moradores de Curitiba (PR), foram identificados como donos das bagagens.

Durante o interrogatório, os dois ficaram nervosos e se contradisseram em respostas sobre o valor das passagens aéreas, qual o hotel em que ficaram e qual o objetivo de terem vindo para Recife. Foi aí que os policiais abriram as malas e localizaram 20 tabletes, que foram identificados como haxixe após narco testes.

Após suspeitar da mala do casal, a PF passou também a monitorar o homem que levou o casal no aeroporto, identificado como Ricardo, de 33 anos, e também de Curitiba. Após constatar que as bagagens continham haxixe, a polícia se dirigiu a Ricardo, que levou os investigadores até uma casa em Pau Amarelo, em Paulista, na Região Metropolitana do Recife.

Na casa, foram encontradas duas bolsas de viagem. Nelas, havia 46 tabletes de haxixe, que pesavam aproximadamente 48,8 quilos. Com isso, foram apreendidos, ao todo, 66 tabletes da droga. Além da droga, foram apreendidos cartões de embarque, três celulares e R$ 1.500.

Os três foram autuados em flagrante por tráfico interestadual de entorpecentes e associação para o tráfico. Em depoimento, eles não deram detalhes sobre quem os contratou para entregar a droga no Rio de Janeiro, mas afirmaram que ganhariam entre R$ 1.500 e R$ 2 mil pelo transporte.

A PF apontou o haxixe não é produzido no Brasil e, pela forma de apresentação, a droga é vinda da África. O haxixe consiste no produto extraído, em forma de resina, das flores e frutos da Maconha.

Histórico

Outras três apreensões de drogas foram feitas neste ano pela Polícia Federal no aeroporto. Ao todo, haviam sido apreendidos 3,5 quilos de cocaína e 80,5 quilos de haxixe. Durante todo o ano de 2017, foram 45,9 quilos de cocaína, 43 quilos de Skunk, 22,8 quilos de Haxixe, 10,4 quilos de metanfetamina e 30 quilos de maconha. As informações são do G1 PE.



Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário