Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

O casal Paulo Mello e Vanneska Arrais deu início ao projeto 'Geladeira Cultural' em Petrolina. — Foto: Beatriz Braga/G1 Petrolina


Algo no mínimo inusitado chamou a atenção da estudante de Jornalismo, Andressa Silva, quando ela passava pela Avenida da Integração, no bairro Gercino Coelho, em Petrolina, Sertão de Pernambuco, rumo ao trabalho. Era uma geladeira toda colorida, parada no meio da calçada. O fato, que já era curioso, se tornou uma surpresa ainda maior quando Andressa abriu a geladeira e viu que ela guardava livros. Iniciado há menos de um mês por um casal que mora na cidade, o projeto ‘Geladeira Cultural’ vem com uma proposta criativa: trazer uma livraria para o meio da rua.

“Foi uma surpresa encontrar a geladeira cultural, na Integração. De longe, avistei algo colorido e, como sou fascinada por arte de rua, me aproximei e me deparei com a geladeira. Como aqui na cidade ainda temos poucos eventos de literatura, quase nenhuma livraria, achei a iniciativa muito bacana e fotografei para que outras pessoas que não passam por lá ou que de repente se interessariam, conhecessem, e quem sabe, divulgassem também”, relatou Andressa.

A geladeira que guarda livros fica na calçada de um ateliê de artes, onde o casal Paulo Mello e Vanneska Arrais iniciaram juntos o projeto ‘Geladeira Cultural’. A ideia na verdade veio através de experiências que já acontecem pelo Brasil, de pessoas que utilizam geladeiras quebradas como depósitos de livros.

“Nós estávamos com uma geladeira parada, sem uso, e queríamos dar um fim nela. Minha esposa viu algo sobre essa geladeira cultural em algum lugar do Brasil e resolvemos fazer a mesma coisa aqui. Abastecemos com livros e revistas que tínhamos, e já tem uma receptividade grande, pois o pessoal já está trazendo livros”, afirmou Paulo.

Colocar uma geladeira colorida no meio da rua, cheia de livros, foi uma atitude ousada, mas a resposta à iniciativa do casal veio logo no dia seguinte, quando eles abriram a geladeira e se depararam com mais livros.


Livros infanto-juvenis, gibis, revistas e até cadernos de exercícios escolares e de de pré-vestibular estão à disposição na geladeira. — Foto: Beatriz Braga/G1 Petrolina


“A gente colocou um monte de livro e quando foi ver lá já tinham outros livros que não eram nossos”, disse Vanneska.

Segundo Paulo Mello, por estar localizada em uma zona próxima a escolas, a geladeira cultural tem atraído crianças e adolescentes, principalmente no horário de saída da aula. “Quem está levando muito os livros são os meninos que saem da escola. Aqui tem uma parada de ônibus e eles param. Virou um ponto de referência, e eles ficam lendo ate o ônibus chegar”, contou.

Agora, a expectativa do casal é conseguir manter vivo o projeto e chamar a atenção de mais pessoas para a importância de incentivar a leitura, e para que mais livros sejam arrecadados. “A gente está tentando manter viva essa ideia de que a educação é a base primoridial para tudo. A leitura, quando você começa cada vez mais cedo, você tem mais curiosidade de aprender", destacou Vanneska. As informações são de Beatriz Braga e Emerson Rocha / G1 Petrolina.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário