Slider[Style1]

Style10

Style3[OneLeft]

Style3[OneRight]

Style4

Style2

Style6

Style5[ImagesOnly]

A caixa da medicação utilizada por Maria das Graças custa R$ 500. — Foto: Reprodução/TV Grande Rio


Pacientes com Lúpus estão há cerca de dois meses sem receber pelo menos dois tipos de medicamentos, para o tratamento da doença, em Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Os remédios deveriam estar sendo fornecidos gratuitamente pela Farmácia do Estado. Sem o tratamento adequado, a doença pode se agravar.

O Lúpus é uma doença autoimune e sem cura que pode provocar lesões em vários órgãos do corpo. As medicações utilizadas no tratamento auxiliam no controle dos sintomas causados pela doença, e geralmente são caras. A professora Maria das Graças Lopes tem Lúpus e precisa tomar seis comprimidos, por dia, de um medicamento que está em falta na Farmácia do Estado, em Petrolina. A última vez que ela conseguiu a medicação foi no final de setembro.

“Eu estive aqui na farmácia já três vezes, depois que faltou a medicação, e da primeira vez pediram para eu voltar dia 10, e agora ela [a atendente] disse que não tem previsão [de chegada da medicação]”, disse.

Sem o tratamento adequado, Maria das Graças pode ter outras complicações na saúde. “Eu venho fazendo tratamento há 1 ano e meio, e ele está tendo sucesso. Se eu parar de tomar a medicação, eu volto com as complicações renais, posso vir a ter falência renal, ter que fazer hemodialise, fazer transplante", destacou.

A dona de casa Kátia Rodrigues de Souza descobriu o Lúpus há 17 anos. Assim como Maria das Graças, ela também está sem receber a medicação necessária, que está em falta desde outubro na Farmácia do Estado. “É um descaso porque precisamos desse remédio, temos esse direito”, afirmou.

Assim como Maria das Graças e Kátia, outras pessoas que fazem o tratamento contra o Lúpus, em Petrolina, fizeram reclamações na Ouvidoria da Farmácia.

Secretaria de Saúde

Em nota, a Secretaria de Saúde de Pernambuco informou que os fornecedores dos remédios para Lúpus não entregam os medicamentos no prazo estabelecido pelo estado. Ainda segundo o órgão, a empresa responsável por esse fornecimento já foi notificada. As informações são do G1 Petrolina.

Sobre Petrolina News

«
Próximo
Postagem mais recente
»
Anterior
Postagem mais antiga

Nenhum comentário:

Poste um Comentário